expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

terça-feira, 24 de setembro de 2013




OUTONO - HM CENTRO ÓPTICO



LENTES PERSONALIZADAS


EYE COUTURE


Proteínas que controlam a visão têm um papel na doença de Alzheimer


As proteínas que controlam o desenvolvimento da visão depois do nascimento desempenham um papel importante na doença de Alzheimer, uma doença cerebral incurável, segundo uma pesquisa realizada em ratos divulgada nos Estados Unidos.

«A medicina está a começar a estudar a acção destas proteínas no cérebro», afirmou Carla Shatz, professora de Biologia e Neurobiologia da Universidade de Stanford, na Califórnia, Oeste dos EUA, principal autor do estudo.
«É claro que devemos fazer mais pesquisas, mas essas proteínas também podem ser os nossos objectivos para os tratamentos da doença de Alzheimer», acrescentou.
No seu trabalho, os cientistas descobriram que estas proteínas, chamadas LilrB2, presentes nos humanos e também nos roedores, podem amalgamar-se a fragmentos de proteínas beta-amilóides, cuja acumulação no cérebro é uma das principais características da doença de Alzheimer. As beta-amilóides sufocam as sinapses que permitem aos neurónios comunicar.
No estudo com ratos, suprimir a produção das proteínas LilrB2 no cérebro, ao agir sobre um gene, impede este fenómeno e reduz a perda de memória. Sem as proteínas LilrB2, as sinapses no cérebro dos ratos resistem aos efeitos adversos das beta-amilóides.
Outras experiências mostraram que a amálgama entre as proteínas LilrB2 e as beta-amilóides poderia desencadear uma reacção em cadeia que poderia levar à ruptura das sinapses.

Tremor nas pálpebras é sinal de que «é preciso desacelerar»



Quem nunca sentiu tremor nas pálpebras? Algo tão irritante quanto impossível de ser controlado. Pior: pode durar dias, com direito a curtos intervalos. Mas por que é que o fenómeno é tão comum e, ao mesmo tempo, difícil de ser evitado?

A oftalmologista Andrea Lima Barbosa, directora médica da Clínica dos Olhos São Francisco de Assis (RJ), conta que é extremamente comum pessoas chegarem ao seu consultório com essa queixa.
«É sempre preocupante para a pessoa e o correcto é procurar um especialista, mesmo. Esse tremor palpebral em episódios é uma luz vermelha a avisar que algo não vai bem não só no seu corpo, mas na sua vida», alerta a médica.
Ela conta que o tremor é um sinal de que a pessoa pode estar no auge do stresse. «Pode ser fadiga, ansiedade, resultado de noites mal dormidas ou problemas pessoais, por exemplo».
Como as causas são diversas, para evitar o tremor involuntário das pálpebras deve-se identificar a mais importante e agir nela:
- Fadiga: pode ser causada pelo uso contínuo de computadores ou monitores (síndrome da visão do computador). Nestes casos há a necessidade de se intercalar períodos de trabalho com períodos de descanso dos olhos, ou seja, a mudança de foco durante 15 minutos, antes de prosseguir no uso;
- Stresse: deve-se tentar evitar ou resolver as condições ou as situações do ambiente de trabalho ou familiar que estejam ligadas ao aumento da ansiedade; pode-se tentar a utilização de medicação relaxante muscular leve, sob indicação médica;
- Secura nos olhos: também pode estar relacionada com o uso contínuo de computadores. Usar colírios lubrificantes preventivamente é indicado, assim como aumentar a humidificação do ambiente de trabalho;
- Cafeína: se a causa for associada ao consumo excessivo de cafeína, de bebidas energéticas ou de tabaco, deve-se reduzir ou suspender o seu consumo;
- Não identificadas: sugere-se a consulta oftalmológica completa com objectivo de se avaliar a função muscular das pálpebras, a superfície ocular, erros refracionais ou fundo de olho.
Uma receita caseira dá conta de que compressas de chá de camomila ajudariam a parar o tremor.


VOGUE